Motorista de acidente que matou jovem na RMC dirigia a 120 km/h, diz passageira.

O motorista do Ford Ka que provocou um acidente causando a morte da jovem Maria Eduarda Santos, de 19 anos, que foi arremessada pelo para-brisa, dirigia a 120 km/h, segundo relatou uma das passageiras do veículo. O acidente aconteceu na noite deste domingo (20), na Rodovia da Uva, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba.

Segundo a mãe da jovem, os passageiros pediam para que o motorista parasse o carro ao notar a alta velocidade, o que não teria sido acatado por ele. Bastante emocionada em uma live feita no Instagram, Monica Albino disse que o motorista é de São Paulo e que já tem passagem pela polícia.

A mãe contou que a filha e os amigos estavam em uma festa e pegaram carona com o motorista e dono do Ford Ka Sedan. Ao todo, havia sete pessoas dentro do carro: além do motorista e do passageiro, cinco ocupavam o banco de trás. Maria Eduarda não fazia uso de cinto de segurança.

“Ela disse que ia no colo da Gi, o Gabriel namorado dela estava no meio. Esse bandido começou a acelerar e gritar que era o ‘rei da boleia’. Eles pediam para parar e ele não parava. Ele gritava que era o ‘rei da boleia’. O Gabriel segurou a Duda pela cintura com medo porque ela estava sem cinto. Nisso, ele deu um cavalinho de pau, bateu no muro do posto e minha filha foi arremessada”, detalhou a mãe de Maria Eduarda, por meio da live.

Ainda, uma das passageiras contou à mãe da jovem que a amiga pediu para que o motorista parasse o carro. Além disso, uma outra vítima teria pedido ao motorista para assumir a direção.

“Ele estava a 120 km/h em uma reta quando puxou o freio de mão e deu o ‘cavalinho de pau’“, contou uma das jovens.

Monica disse que a filha e os amigos tinham ingerido bebida alcoólica, mas que não dirigem nessa situação e, por isso, teriam aceitado carona. Segundo ela, o motorista é de São Paulo e tem passagem pela polícia pelo crime de tráfico de drogas. “Ela não conhecia ele. Eles estavam em uma festa, saíram de lá para irem a um posto. Tinham ido a um mercado. Não é crime beber, é crime beber e dirigir. Quero justiça. É a maior dor do mundo perder um filho, um pedaço de você é levado”, lamentou.

Maria Eduarda, que é filha do fundador da rede Multiloja, estava no banco de trás e, segundo o Corpo de Bombeiros, possivelmente sem cinto de segurança. Ela teve o corpo arremessado para fora do carro, com o impacto da batida. O Ford Ka que ela estava bateu contra a mureta de um posto de combustível.

O tenente Gross, do 7º Grupamento, que fez o socorro das vítimas disse que a maioria dos passageiros eram mulheres. “Esse carro bateu em um anteparo, como chamamos. Havia 7 pessoas dentro do carro, algumas ficaram bem feridas, e infelizmente uma morreu no local. A princípio, são cinco mulheres e dois homens”, descreveu o tenente. “Segurança comprometida dentro desse carro, visto pelo número de passageiros, todos jovens, de 20 a 30 anos”, completou

Até a manhã de hoje (22), o motorista continuava internado no Hospital Evangélico. Outros passageiros também foram socorridos e dois deles também estão em hospitais de Curitiba, inclusive o namorado de Maria Eduarda.

Investigação
A Banda B entrou em contato com a Polícia Civil e foi informada que o caso está sendo investigado. ‘Testemunhas devem ser ouvidas nos próximos dias para auxiliar nas investigações’, disse a polícia

Por: Guilherme Lara da Rosa e Elizângela Jubanski

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *