Investigação sobre acidente que matou filha de fundador da Multiloja é concluída pela Polícia Civil
Acidente aconteceu no dia 20 de dezembro do ano passado

A investigação sobre o acidente que terminou com a morte da filha do fundador da rede Multiloja, Maria Eduarda Santos, 19, foi concluída pela Polícia Civil e o motorista do Ford Ka Sedan deverá responder por homicídio doloso. O acidente aconteceu no último dia 20, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba.

Segundo o delegado Erineu Portes, da Delegacia de Polícia Civil de Colombo, a conclusão sobre o crime praticado por Matheus, o motorista do veículo, ocorre após a realização das oitivas com todos os ocupantes.

“Todos deram a mesma versão sobre o ocorrido. Disseram que o Matheus dirigia em alta velocidade, dando cavalinho de pau, e que inclusive pôs a vida de outras pessoas em risco”, disse o delegado

Portes também ressaltou o fato de que os jovens pediam para que o motorista parasse o veículo, mas que não o fez.

“Entendemos que o caso se trata de um homicídio doloso, já que ele assumiu o risco de causar o acidente enquanto dirigia embriagado e em alta velocidade”, afirmou.

Matheus foi intimado para prestar depoimento, mas preferiu se manter calado até o dia da audiência.

Acidente
Maria Eduarda, de 19 anos, foi a única jovem, entre sete, a morrer no acidente que aconteceu na noite de um domingo, no dia 20 de dezembro do ano passado. A vítima foi arremessada para fora do veículo após uma colisão violenta contra uma mureta.

À época, uma das passageiras do Ford Ka relatou que o motorista dirigia a 120 km/h quando provocou o acidente. Inclusive, há relatos de que todos teriam pedido a Matheus para que parasse o carro, porém foram ignorados. Além disso, uma outra vítima teria pedido ao motorista para assumir a direção.

Os jovens teriam deixado uma festa para ir até um supermercado comprar mais bebidas alcóolicas. Durante todo o percurso, Matheus teria realizado diversas manobras proibidas e perigosas.

Ele estava a 120 km/h em uma reta quando puxou o freio de mão e deu o ‘cavalinho de pau’”, contou uma das jovens.

A mãe de Maria Eduarda disse, em uma live nas redes sociais, que o motorista gritava “sou o rei da boleia” momentos antes da batida.

Além de Maria Eduarda, havia outras quatro pessoas no banco de trás do carro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *