Suspeito envolvido em desaparecimento de jovem após encontro na RMC decide se apresentar à polícia.

O suspeito envolvido no desaparecimento de Maria Helena de Jesus, de 22 anos, decidiu se apresentar à polícia para prestar depoimento nesta quarta-feira (3). A jovem, que teria ido encontrar o rapaz no dia 12 de janeiro, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, não foi mais vista desde então.

×
O delegado Fábio Machado, da Delegacia de São José dos Pinhais, afirmou que o depoimento do suspeito ocorre após as oitivas já realizadas com outras testemunhas.

“Na noite de hoje [terça-feira, 2], o advogado do suspeito entrou em contato com a delegacia e disse que seu cliente irá se apresentar. Nós vamos encerrar as investigações com um laudo pericial, vamos ouvi-lo, e recolher os depoimentos das outras pessoas para que eles possam dar uma última versão”, disse o delegado.

Segundo a Polícia Civil, após o depoimento, o suspeito levará os policiais até o local onde teria enterrado o corpo da vítima.

Desaparecimento

Moradora do bairro Alto Boqueirão, em Curitiba, Maria Helena teria ido até a casa do suspeito, com quem estaria se relacionando, para conhecê-lo e participar de uma festa, no dia 12 de janeiro.

Três dias após o sumiço, a família da jovem procurou a reportagem da Banda B para noticiar o fato.

“Ela saiu com amigas na terça-feira [12] pra ver este rapaz, ‘ficante’ dela, segundo contaram pra gente. Todas voltaram para Curitiba, mas a minha irmã foi de novo na casa deste rapaz. Desde então, ninguém mais sabe da Maria Helena. A família dele também não sabe dele. Não acreditamos em fuga porque ela tem um filho de 5 anos e é muito responsável”, disse o irmão Pedro de Jesus.

Investigação

Após uma série de diligências, segundo o delegado Fábio Machado, a polícia soube que a vítima e o suspeito teriam discutido no local onde ocorria a festa.

“Depois dessa discussão, o convidados foram embora e ela ficou sozinha com ele, e nunca mais foi vista. Nas câmeras de segurança, há registros de três pessoas entrando na casa”, afirmou Fábio.

O trio teria permanecido na residência durante um certo tempo, período este que a polícia acredita ter sido o momento em que Maria Helena foi morta.

Na sequência, um carro teria aparecido nas imagens. “Surge um carro conduzido pelo irmão do suspeito. Ele chega na casa, tira alguma coisa e leva embora. Acreditamos que tenha sido o corpo da vítima”, continuou.

O carro conduzido por este rapaz citado por Fábio foi localizado. “Ele foi periciado e há indícios de sangue. Também encontramos cabelos que podem ser da Maria Helena”, revelou. O laudo pericial do veículo também será determinante para o encerramento das investigações, conforme mencionado por Machado anteriormente.

As investigações apontam, de acordo com o delegado, para a existência de algumas inconsistências nos depoimentos dos familiares do suspeito e de seu irmão. Por isso, todos serão ouvidos novamente para dar uma última versão. Caso seja constatado que houve mentiras durante as oitivas, estes poderão responder por fraude processual e falso testemunho.

Caso as versões sejam mantidas, o suspeito e os outros envolvidos devem ser indiciados por feminicídio e ocultação de cadáver”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *